Existem muitos sistemas de impressão e cada um se adapta a diferentes necessidades, daí a importância de definir durante a elaboração do projeto gráfico o sistema de impressão a ser utilizado. Selecionamos as formas de impressão mais comuns no mercado gráfico.
Offset:
É o processo de impressão indicado para a impressão de grandes quantidades. O papel corre pela máquina sem precisar da intervenção humana, porém a máquina necessita de ajustes iniciais que que valem para qualquer quantidade de impresso. Ou seja, para imprimir 10.000 unidades ou 20.000, os ajustes iniciais utilizarão a mesma quantidade de insumos. Sendo assim, o “peso” do custo desses ajustes iniciais em quantidades menores é maior, aumentando o custo unitário. O que é importante saber: ao planejar o seu material, identifique a quantidade que será produzida e programe os acabamentos adequando-os ao sistema de impressão que será escolhido.
Serigrafia:
Conhecido também como silk-screen, esse tipo de impressão é feito em uma tela preparada, que é esticada sobre uma moldura de madeira, alumínio ou aço, onde se vaza a tinta através das tramas, que deixam passar maior ou menor quantidade de tinta, de acordo com a quantidade de fios da tela. A serigrafia é bem flexível no que diz respeito ao substrato. Pode-se utilizar papel, plástico, azulejos, tecidos, etc. Para impressos em papel, é bastante utilizada para aplicações monocromáticas, com tintas sólidas (sem utilizar a tabela CMYK para policromia), em sacolas, caixas e embalagens em geral. É também utilizada para aplicação de vernizes como acabamento gráfico. Assim como o sistema offset, precisa de ajustes iniciais no equipamento.
Flexografia:
É um sistema de impressão feito em máquinas rotativas e tinta de secagem rápida. A tinta é deslocada de uma matriz diretamente para um suporte, chamado filme flexível. Este sistema é amplamente utilizado para embalagens e rótulos de produtos, normalmente em grande escala. É um sistema que também precisa de ajustes iniciais nos equipamentos, o que praticamente inviabiliza a impressão em pequenas quantidades.
Impressão digital:
Dispensa o uso de matrizes e é feita em impressoras coloridas ou plotters (para impressão de grandes formatos). Por não ser necessária a confecção de matrizes, o sistema digital não precisa de ajustes iniciais, o que viabiliza os custos para menores tiragens. Atualmente, existem impressoras modernas que simulam a impressão offset, incluindo possibilidades de acabamentos como laminações e vernizes.
Ficou com dúvida em algum item e qual o melhor método para o seu impresso? Enviei um e-mail para comercial@luripress.com.br