Os diferentes formatos de arquivo eletrônico têm vantagens e desvantagens, e alguns são mais apropriados para determinadas tarefas do que outros. Por exemplo, para propósitos de impressão, um arquivo TIFF, com resolução mínima de 300 DPI é considerado ideal. Já um arquivo em JPG compactado pode produzir resultados parecidos, em um tamanho de arquivo menor. Pensando em uma arte-final em hot stamping e vernizes, deve ser fornecido um arquivo vetorial em EPS ou CDR. Há também o mais utilizado hoje em dia, o PDF, que é um arquivo fechado e pode ser gerado a partir dos mais variados programas gráficos, sem a necessidade de envio das fontes, links ou perfis de cor. Compreende a diferença? Então, vamos revisar cada tipo de formato de arquivo abaixo:

– Bitmap: composto de pixels, utilizado para reproduzir imagens tonais detalhadas, como fotografias.

– TIFF: recomendado para impressão porque utiliza a compactação sem perdas, ou seja, nenhuma informação é perdida e a qualidade original é conservada.

– EPS: formato ideal para armazenar arte vetorial ou baseada em objetos. Esses arquivos podem ser redimensionados, distorcidos e separadas suas cores.

– JPG: usado para armazenar imagens fotográficas, utilizando a compactação para descartar informações e produzir um tamanho de arquivo menor, salvando espaço, sem perda de qualidade.

– PDF: usado para impressão dos mais diversos materiais gráficos. O envio desse formato deve ser feito, de preferência, no padrão gráfico mundial ISO PDFx-1A, que é o formato aceito na maioria das gráficas.